Bonus Mission!

Pretty Cure: Tudo que você precisa saber

PRE

Depois de muito tempo preparando, eis que trago a vocês um post especialíssimo sobre uma das minhas franquias japonesas mais amadas: Pretty Cure!

Não, ninguém me pediu pra fazer um post com esse tema ou tem uma fanbase enorme que sempre comenta da série comigo aqui. E justamente é esse o motivo por eu fazer esse post. Pretty Cure é uma franquia pouquíssimo conhecida fora do Japão, embora faça muito sucesso lá. Então eu decidi fazer esse post de ~tudo sobre a série~ para, quem sabe, inspirar possíveis novos fãs, já que as vezes é um saco decidir por qual temporada começar a assistir, e elas são muitas.

Pretty Cure (ou só Precure) é uma franquia mahou shoujo originalmente voltada para o público feminino infantil, mas não é como se a gente não se encantasse por coisas voltadas pra essa idade, né?

Pois bem. A história de todas as temporadas é bem simples: garotas comuns ganham poderes e viram super-heroínas (nos moldes de Sailor Moon) que lutam contra o mal. Apesar de muita gente comparar a franquia com Sailor Moon, aqui temos muitas diferenças: as Precures são só garotas que sempre levaram uma vida normal e não são reencarnações de princesas ou guerreiras de outra vida, e isso porque o propósito da obra é fazer com que o público alvo se sinta parte dela. Além disso, o foco da série no romance é quase inexistente (eu disse QUASE) e isso é bem legal porque, por mais que seja uma série de mahou shoujo clichê, pelo menos essa parte já batida ela elimina. Em Pretty Cure também as lutas são “de verdade”, coisa que não se via até então em outras séries de mahou shoujo, isto é, antes de utilizarem seus poderes especiais elas tentam derrotar os inimigos com chutes, socos e força física em geral. Algumas lutas são bem equiparáveis à lutas dos grandes shonens, e quem assiste sabe que eu não tô exagerando!

Antes de falar sobre as temporadas, preciso explicar como funciona a exibição da série. Criada pela divisão Izumi Todo da Toei Animation, Pretty Cure estreou no Japão em 2004 com sua primeira temporada denominada “Futari Wa Pretty Cure“. Desde então a série é exibida ininterruptamente todos os domingos no mesmo horário, ou seja, termina uma temporada e na semana seguinte já começa a outra. “Ah, caramba, mas desde 2004 é muita coisa pra assistir!”. Aí é que tá; até agora, Precure está em sua 13ª temporada, porém cada uma delas conta uma história de um grupo de heroínas totalmente diferente que não tem ligação nenhuma com as outras temporadas, sendo que as únicas exceções são as temporadas 2 e 5, que são continuações diretas da 1 e 4, respectivamente. Tirando isso você pode começar a assistir a partir de onde quiser.

Eu costumo recomendar que novos fãs comecem por alguma temporada que seja da 6ª em diante. Mas por que? Fresh Pretty Cure, a 6ª temporada, sofreu uma remodelação: a partir dessa temporada o público alvo deixou de ser apenas as meninas de 3 a 7 anos e foi ampliado para o público pré-adolescente, o que resultou em temas um pouco mais complexos e interessantes, bem como plot twists mais impactantes para as temporadas. Logo, começar por uma das primeiras temporadas acaba dando uma impressão errada de como a série anda nos dias de hoje, e isso pode afastar algumas pessoas. Mas vai de cada um.

Além da série regular, a franquia também possui filmes que são exibidos anualmente nos cinemas japoneses. São dois tipos de filme: um pra cada temporada e um “All stars” anual, que reúne as heroínas de todas as temporadas. Vou falar sobre eles aqui também e explicar como assistir.

Tendo dito tudo isso, vamos começar o guia!

1ª Temporada: Futari Wa Pretty Cure

futari

Exibição: 1° de Fevereiro de 2004 a 30 de Janeiro de 2005
Episódios: 49
Heroínas: Cure Black, Cure White
Temas e símbolos recorrentes: Luz, Escuridão, Amizade, Dualidade, Arco íris, corações

A primeira temporada vai contar a história de duas garotas, Nagisa Misumi e Honoka Yukishiro. As duas conhecem Mipple e Mepple, duas criaturinhas de outra dimensão, conhecida como Jardim da Luz. Os dois dão poderes a elas para que se transformem nas Precure emissárias da luz, Cure Black e Cure White. Com seus poderes, Black e White devem lutar contra um grupo de vilões conhecido como Dark Zone, que dominou o Jardim da Luz e agora quer dominar a terra.

De certa forma essa temporada foi considerada bem inovadora na época, seja pelos elementos que eu citei na introdução e por trazer apenas duas heroínas ao invés de uma só ou um grande time, como a maioria dos animes do gênero. Como era uma nova aposta no mercado, a Toei tomou uma medida de segurança: se fosse um fracasso, a série seria encerrada no episódio 26. É por isso que, ao assistir a temporada, percebe-se que esse episódio é um desfecho quase que completo. Porém a franquia fez um sucesso estrondoso e foi produzida uma temporada completa, durando o ano todo.

O que eu achei: Essa foi a quarta ou quinta temporada que eu assisti, depois de ter visto algumas mais recentes. Ela tem um ar bem datado, parece ter sido feita bem antes de 2004. O desenvolvimento é bem simples, focado na amizade das duas protagonistas, que por sua vez, não recebem muitos power-ups no decorrer da história, que também não sofre de muitos plot twists. Meio que me senti numa montanha russa vendo essa primeira temporada, pois alguns episódios são bem empolgantes e cheios de ação e outros são puramente filler, sem conteúdo algum. Apesar de ter sido a primeira, é uma temporada pra quem já é fã da franquia justamente por seu conteúdo datado. É bom tentar assistir umas duas ou três temporadas recentes para depois partir pra essa.

Minha nota: 3/5

2ª Temporada: Futari wa Pretty Cure Max Heart

max

Exibição: 6 de Fevereiro de 2005 a 29 de Janeiro de 2006
Episódios: 47
Heroínas: Cure Black, Cure White, Shiny Luminous
Temas e símbolos recorrentes: Luz, Escuridão, Amizade, Dualidade, Arco íris, corações

Essa é a continuação da temporada anterior. Em Max Heart, Nagisa e Honoka lutam contra os vilões restantes da Dark Zone, que agora protegem um misterioso garotinho. Nessa temporada também é introduzida uma nova heroína, Shiny Luminous que, apesar do nome. é oficialmente uma Cure.

Com o sucesso da primeira temporada, a Toei viu que a receita estava dando certo e resolveu apostar nas mesmas heroínas e personagens da temporada anterior, dando a eles novos poderes e novos companheiros.

O que eu achei: Shiny Luminous trouxe um frescor pra série, sem deixar ela cansativa. Ainda assim, ao terminar essa temporada, fiquei com o sentimento de que na época poderiam ter feito tudo em uma só temporada pra que as coisas ficassem bem mais empolgantes. Mas não é assim que funciona e a Toei precisava de dinheiro, então tivemos Max Heart, que apesar de me passar o mesmo sentimento da temporada anterior, é razoavelmente boa. Não recomendo uma ordem para assistí-la, já que depende da temporada anterior.

Nota: 3/5

Filmes:
– Pretty Cure Max Heart: O Filme
– Pretty Cure Max Heart 2: Yukizora no Tomodachi

Como a primeira temporada não ganhou um filme, essa ganhou dois. Assim como todos os filmes da série (alguns canônicos, outros não), não intereferem absolutamente nada no entendimento do anime regular. O primeiro filme é bem bobinho e eu quase dormi, já o segundo é mais bem feito e possui uma luta que eu amo no meio, vale a pena assistí-lo!

3ª Temporada: Futari wa Pretty Cure: Splash Star

splash

Exibição: 5 de Fevereiro de 2006 a 28 de Janeiro de 2007
Episódios: 49
Heroínas: Cure Bloom / Bright, Cure Egret / Windy
Temas e símbolos recorrentes: Natureza, amizade, flores, pássaros, vento, lua

Essa é a primeira temporada independente da franquia. Aqui conhecemos Saki Hyuuga e Mai Mishou. Ainda pequenas, as duas se conhecem em frente a uma grande árvore chamada “Árvore do Mundo“. No entanto Mai se muda de cidade logo em seguida, e as duas passam anos separadas até que se reencontram na frente da mesma árvore. Nesse mesmo local elas conhecem Flappy e Choppy, duas fadas que dão a elas o poder de se transformarem em Cure Bloom e Cure Egret. Elas descobrem então que a Árvore do Mundo é a fonte da vida de todos as dimensões, e é sustentada por sete fontes. Seis dessas fontes já caíram nas mãos dos vilões da “Dark Fall“, e cabe a Mai e Saki protegerem a última fonte e recuperarem as outras.

Nota-se a primeira vista o medo que a Toei possuía de “mexer em time que tá ganhando”, pois apesar de ser uma história completamente diferente, as duas personagens principais são muitíssimo parecidas com as duas das primeiras. Mas para por aí.

O que eu achei: Eu gosto dessa temporada. Como eu disse, a princípio parece que vai ser um completo deja vu das temporadas anteriores, mas Splash Star acaba recebendo um desenvolvimento bem diferente e mais maduro. Não só as personagens principais são marcantes, mas aqui temos duas vilãs que são muito bem desenvolvidas no decorrer da história. Infelizmente também possui seus pontos negativos: a estética da série ainda é datada como a anterior e o design é MUITO BREGA. A animação peca em alguns pontos pois, mesmo possuindo muita ação, algumas cenas são lentas e acabam não empolgando muito. Episódios sobre o clube de baseball da Saki são bem chatos também. No entanto ainda é bem superior às primeiras temporadas.

Nota: 3,5/5

Filme:
– Eiga Futari wa Pretty Cure Splash Star: Tick Tack Kiki Ippatsu

O filme dessa temporada é bem legal e mostra um desenvolvimento IMENSO na parte técnica da animação. Nele, Saki e Mai vão parar na Terra dos Relógios e lá conhecem duas fadas: Hours e Minutes. Os dois estão com problemas, pois um vilão da Dark Fall foi para o mundo deles e de lá planeja parar o tempo para sempre.

4ª Temporada: Yes! Precure 5

5

Exibição: 4 de Fevereiro de 2007 a 27 de Janeiro de 2008
Episódios: 49
Heroínas: Cure Dream, Cure Rouge, Cure Lemonade, Cure Mint, Cure Aqua
Temas e símbolos recorrentes: Sonhos, Esperança, Borboletas

Nozomi Yumehara, uma estudante comum do ensino fundamental, conhece Coco, uma fada do Palmier Kingdom. Coco conta a Nozomi que seu reino foi destruído por uma organização chamada Nightmare, e agora, com a ajuda de um artefato chamado “Dream Collet” precisa capturar 55 criaturinhas chamadas “Pinkies” para que possa ter um desejo concedido e assim restaurar o Palmier Kingdom. Nozomi então decide ajudar Coco a recuperar os Pinkes e a lutar contra a Nightmare, virando assim a Cure Dream. Coco então avisa a Nozomi que ela deve escolher outras 4 estudantes para se tornarem Precure junto a ela e ajudar na grande busca.

O que eu achei: Dessa vez a Toei decidiu arriscar e colocou 5 heroínas pra lutar, o que deu muito certo, visto que a Yes! possui duas temporadas (item seguinte). Nota-se também a evolução na parte técnica, embora ainda não esteja tudo 100% perfeito (é Toei né amigos). No mais eu gosto de praticamente tudo nessa temporada; as personagens são bem apresentadas e cada uma possui uma personalidade bem característica. Todas são colocadas para interagir de muitas formas e o desenvolvimento delas acaba sendo bem “real” durante a história e isso dá gosto de ver, até porque diminui a quantidade de fillers. Em Yes! as fadas mascotes também ganham uma nova roupagem, já que agora elas podem se transformar em humanos. Mas o grande destaque dessa temporada é mesmo Nozomi. Ela é muito “real” e, apesar de não ser minha Cure preferida, é a que tem a personalidade mais marcante; ela possui uma grande dificuldade de aprender na escola, deixando implícito que possui TDAH; porém ela leva tudo isso sempre com bom humor e muita alegria. Apesar de ainda não fazer parte da “nova era” é uma boa temporada pra estar no comecinho da lista.

Nota: 4/5

Filme:
– Yes! Precure 5: Kagami no Kuni no Miracle Daibouken!

Esse filme é um must see! Embora não tenha um enredo muito complexo ele tem elementos muito legais que fazem valer a pena. Nele, as Precure 5 vão parar no mundo dos espelhos, onde devem enfrentar Shadow, um vilão que está atrá do Dream Collet. Daí que o Shadow cria versões “más” das Cures, e as lutas entre elas geraram algumas das melhores cenas de ação de toda a série <3

5ª Temporada: Yes! Precure 5 Go Go!

gogo

Exibição: 3 de Fevereiro de 2008 a 25 de Janeiro de 2009
Episódios: 48
Heroínas: Cure Dream, Cure Rouge, Cure Lemonade, Cure Mint, Cure Aqua, Milky Rose
Temas e símbolos recorrentes: Sonhos, Esperança, Rosas

Nozomi e suas amigas voltam e ganham roupas e transformações novas, junto a um item chamado “Rose Pact“. Quem entrega esse item é uma misteriosa mulher chamada Flora, que avisa às meninas sobre a Eternal, uma nova organização do mal que coleciona itens raros e está atrás do Rose Pact, pois o item é a chave de acesso para um mundo chamado “Cure Rose Garden“, onde está Flora. Junto a tudo isso a temporada ainda traz um novo mascote chamado Syrup e uma nova heroína, a Milky Rose, que na verdade é uma personagem da primeira temporada que ganhou poderes.

O que eu achei: O visual dessa continuação dá uma boa melhorada em relação à anterior, sem falar no design dos uniformes, que tá beeeem melhor. A evolução das personagens nessa parte não é tão grande se comparada com a primeira, mas a chegada da Milky Rose dá um grande fôlego a tudo.

Nota: 4/5

Filme:
– Eiga Yes! Precure 5 Go Go! Okashi no Kuni no Happy Birthday

É aniversário da Nozomi e um monte de coisa acontece até que todo mundo vai parar na Terra dos Doces, onde tudo é doce mas ninguém tem diabetes. Lá elas descobrem que o reino está passando por um grande problema por causa de Mushiban -um homem que não tem sua origem explicada durante o filme todo- e acabam a ajudando a princesa Chocola a resolver a bagunça. É um bom filme, mas não melhor do que o primeiro. Vale pela transformação especial da Cure Dream e por mostrar o único beijo na boca de toda a franquia até agora. Importante ter assistido até o episódio 31 da série antes.

6ª Temporada: Fresh Pretty Cure

fresh

Exibição: 1° de Fevereiro de 2009 a 31 de Janeiro de 2010
Episódios: 50
Heroínas: Cure Peach, Cure Berry, Cure Pine, Cure Passion
Temas e símbolos recorrentes: Dança, felicidade, frutas, trevos, naipes do baralho

Love Momozono é uma garota de 14 anos fã do grupo de dança “Trinity“. Durante um show do grupo em que ela está presente, um misterioso grupo de vilões chamado “Labyrinth” aparece para “roubar a felicidade” do público presente. Love então recebe o poder de se tornar Cure Peach para lutar contra o Labyrinth. Logo depois suas amigas Miki e Inori se tornam Cure Berry e Cure Pine, seguidas por uma quarta heróina introduzida no meio da temporada, Cure Passion.

Essa temporada marca a mudança da série para a “nova era”. As personagens aparentam ser fisicamente maiores (embora possuam quase a mesma idade das anteriores), os temas apresentados são um pouco mais complexos e é aqui que começa a tradição do encerramento com CG onde as personagens dançam.

O que eu achei: Essa série é a que tem minha Cure preferida (no quesito visual), a Cure Peach! E no geral Fresh tem um visual bem mais moderno e atual, acabando definitivamente com aquela sensação de anime dos anos 90 que as temporadas antigas passavam. Mais uma vez é uma temporada que aposta no desenvolvimento das personagens, e isso é muito bem mostrado no arco de surgimento da Cure Passion. Outra coisa que eu adoro de Fresh é o ataque conjunto que as meninas usam mais lá pro final, até hoje não vi uma sequência que superasse aquela na série! Ah! E as revelações do final da temporada são bem chocantes, principalmente pra quem já assistiu as outras temporadas. Começar com Fresh Pretty Cure é um ótimo caminho!

Nota: 4,5/5

Filme:
– Eiga Fresh Pretty Cure: Omocha no Kuni wa Himitsu ga Ippai!?

Os brinquedos da cidade começam a desaparecer, então as Precure vão investigar essa situação na Terra dos Brinquedos. É um conceito bem parecido com o filme de Go Go, então quem tiver gostado daquele provavelmente vai gostar desse também. É necessário assistir até o episódio 37 da série antes.

7ª Temporada: HeartCatch Precure!

heart

Exibição: 7 de Fevereiro de 2010 a 30 de Janeiro de 2011
Episódios: 49
Heroínas: Cure Blossom, Cure Marine, Cure Sunshine, Cure Moonlight
Temas e símbolos recorrentes: Moda, corações, flores

Cada pessoa possui uma “Flor do Coração” que é conectada à “Árvore do Coração“, que por sua vez protege todas as pessoas. É dever das Precures protegerem essa grande árvore dos “Apóstolos do Deserto” que têm a missão de transformar o mundo inteiro em um grande deserto. No entanto, quando Cure Moonlight (a precure em missão) é derrotada em batalha e a Árvore perde suas folhas, são enviadas fadas para a terra com o objetivo de encontrar novas heroínas. As escolhidas são Tsubomi Hanasaki, que se torna Cure Blossom, e Erika Kurumi, que se torna a Cure Marine. Elas então devem lutar contra os Apóstolos para impedir que eles roubem as Flores do Coração das pessoas e ao mesmo tempo recuperar a saúde da Árvore do Coração.

O que eu achei: Uma das minhas duas temporadas preferidas! HeartCatch foi um grande marco na história da franquia e fez muito sucesso, e com razão. Apesar do design infantilizado (o mesmo de Ojamajo Doremi e Saint Seiya Omega), essa é a série mais “dark” até agora. Todos os episódios têm a parte técnica quase impecável, as transformações são lindas e os ataques também. As personagens são únicas: Tsubomi é muito tímida mas quer aprender a se soltar, já Erika é solta e atirada, e serve de guia para Tsubomi. Mais tarde conhecemos também Cure Sunshine e Cure Moonlight, sendo que essa última é a Precure que mais sofre. A série também nos presenteia com a Dark Precure, uma Precure que é genuinamente má e foi criada apenas pra destruir as heroínas. A luta entre ela e a Cure Moonlight perto do fim da série deixa qualquer fã de shounens de batalha de queixo caído. Enfim, essa foi uma série realmente inovadora dentro da franquia, tem muito elemento diferente e bem introduzido, que se for pra eu explicar aqui vai ter spoiler e vai ficar enorme. É uma temporada recomendadíssima e não só pode como DEVE ser a sua primeira.

Nota: 100000/5

Filme:
– Eiga HeartCatch Precure! Hana no Miyako de Fashion Show… Desuka!?

Nesse filme as meninas vão para Paris por conta de um show de moda, quando encontram um garoto fugindo de um inimigo poderoso, que estava preso há muitos anos e agora conseguiu se libertar. Elas devem lutar contra o inimigo e descobrir qual a origem daquele garoto. Assim como a temporada, esse filme é lindo e super bem conduzido. Além de ter ótimas lutas e um ótimo enredo, nele ainda é possível conhecer mais ainda da mitologia dessa temporada. Recomendadíssimo! Necessário que se assista até o episódio 38 da série antes.

8ª Temporada: Suite Precure

suite

Exibição: 6 de Fevereiro de 2011 a 29 de Janeiro de 2012
Episódios: 48
Heroínas: Cure Melody, Cure Rhythm, Cure Beat, Cure Muse
Temas e símbolos recorrentes: Música

Em uma terra chamada “Major Land“, a Melodia da Felicidade deve ser cantada de tempos em tempos para que a felicidade seja mantida em todo o mundo. No entanto, um homem chamado Mephisto rouba a Partitura Lendária dessa música, planejando transformá-la em “Melodia do Sofrimento“. Logo, a rainha Aphrodite de Major Land espalha pelo mundo as notas musicais da partitura em uma tentativa de arruinar os planos do vilão. A fada Hummy segue então para o mundo humano e dá poderes para duas garotas: Hibiki Hojo e Kanade Minamino, que se transformam respectivamente em Cure Melody e Cure Rhythm. Agora elas devem recuperar as notas musicais antes que Mephisto as pegue primeiro e acabe criando a Melodia do Sofrimento.

O que eu achei: Tenho uma relação um pouco complicada com Suite e acho que muita gente deve ter também. Ela é uma temporada diferente por ser focada completamente na música e o tema acaba ficando meio que maçante no decorrer dela. Rumores dizem também que era pra ter sido uma temporada bem mais obscura, tipo HeartCatch, mas o grande tsunami que abalou o Japão em 2011 fez com que os roteiristas mudassem o rumo da história. Indício de que isso de fato aconteceu foi a revelação precoce de Cure Beat e Cure Symphony através de um vazamento na época, porém no anime outra personagem se transformou em Cure Beat e a Symphony nunca apareceu. No mais, é uma temporada que pega um pouco do desenvolvimento de enredo de Fresh, e isso foi uma coisa boa; gosto bastante do arco da Cure Beat e acho que ela é o que tem de melhor em Suite junto à música de abertura, que é demais!

Nota: 3/5

Filme:
– Eiga Suite Precure: Torimodose! Kokoro ga Tsunagu Kiseki no Melody!

Esse é um filme canônico que se conecta diretamente com o episódio 36 da série. Embora não interfira em absolutamente nada da história, é um filme interessante e nele a gente conhece muito mais de como é a Major Land. Nele, um novo vilão apareceu na terra da Rainha Aphrodite e a própria tem agido de forma estranha. As meninas vão então investigar o que está acontecendo para pode impedir que a música seja destruída para sempre. Quem gostar da série vai amar esse filme!

9ª Temporada: Smile Precure!

smile

Exibição: 5 de Fevereiro de 2012 a 27 de Janeiro de 2013
Episódios: 48
Heroínas: Cure Happy, Cure Sunny, Cure Peace, Cure March, Cure Beauty
Temas e símbolos recorrentes: Contos de fada, decoração, livros

Nessa temporada Hoshizora Miyki é apaixonada por livros ilustrados de contos de fada e, um dia, atrasada pra escola (só falta a torrada na boca), conhece Candy, uma fada do reino de Märchenland. Candy conta para Miyuki que o vilão Pierrot atacou sua terra, porém a Rainha conseguiu selá-lo. No entanto, os vilões do “Bad End Kingdom” começam a atacar o mundo humano em uma tentativa de acumular energia negativa dos habitantes para poder reviver o Imperador Pierrot. Cabe então à Miyuki se transformar em Cure Happy e procurar suas outras 4 companheiras para, juntas, impedirem o renascimento do grande mal.

O que eu achei: Decepcionante. Essa temporada possui muitos fãs mas eu sinceramente achei bem decepcionante. Com a promessa de ser tão boa quanto Yes!5 e Yes!GoGo, Smile parece apenas uma cópia malfeita que traz um belíssimo visual, sequências de ataques e transformações lindas, mas entrega pouquíssimo conteúdo. O desenvolvimento das personagens é muito pobre e é uma temporada repleta de fillers. Na época quando eu acompanhava semanalmente eu até larguei e demorei anos pra terminar (sério, essa temporada é de 2012 e eu terminei em 2015). Talvez possa vir a ser uma boa temporada pra quem não conhece Precure e quer começar por ela, mas eu não arriscaria.

Vale lembrar que essa temporada possui uma versão em inglês adaptada pela Saban e que está disponível no Netflix, com o nome de Glitter Force. Pelo que assisti e vi de comentários, é uma adaptação bem ruim com diversas alterações nos nomes, roteiro, músicas de abertura e encerramento. Apesar de -na minha opinião- já ser uma temporada ruim no original, ainda acho que Glitter Force conseguiu piorar mais.

Nota: 1,5/5

Filme:
– Eiga Smile Precure! Ehon no Naka wa Minna Chiguhagu!

Miyuki e suas amigas vão visitar a exposição mundial de livros ilustrados. Lá, elas conhecem Nico, uma garota que vive dentro do mundo dos livros ilustrados e que está sendo perseguida por alguns vilões desse mundo. As Precure então decidem ir para esse mundo ajudar Nico, mas acabam descobrindo que a situação não é bem assim do jeito que a garotinha contou. Eu não vou opinar muito sobre esse filme; minha experiência com a série foi péssima, então quando eu assisti o filme já tava um pouco exausto do anime. O visual é estonteante sem dúvidas, e a história até bonitinha. Provavelmente quem gostar da temporada vai gostar do filme.

10ª Temporada: Doki Doki! Precure

doki

Exibição: 3 de Fevereiro de 2013 a 26 de Janeiro de 2014
Episódios: 49
Heroínas: Cure Heart, Cure Diamond, Cure Rosetta, Cure Sword, Cure Ace
Temas e símbolos recorrentes: Altruísmo, egoísmo, pecados capitais, naipes do baralho, broches

O Trump Kingdom é um reino mágico onde todos os seus habitantes vivem felizes sob o governo da Princesa Marie Ange. Um dia, uma força maligna conhecida como King Jikochu ataca o reino e Marie Ange desaparece. Logo, a guerreira Precure que serve a princesa, Cure Sword, foge para o mundo humano junto com sua fada parceira e mais outras três fadas, com o objetivo de encontrar a princesa e restaurar seu reino. Uma dessas outras fadas encontra Aida Mana, uma estudante do ensino fundamental que faz tudo que puder para ajudar seus amigos sempre. Durante uma excursão à torre da cidade, Mana encontra uma das criaturas de King Jikochu e a fada entrega a ela o poder de se transformar em Cure Heart. Formando então um time com Cure Diamond, Cure Rosetta, Cure Sword, e mais tarde Cure Ace, as DokiDoki Precure precisam lutar para proteger os corações das pessoas do King Jikochu e procurar pela princesa.

O que eu achei: Muita gente não gosta dessa temporada por um simples fato: ela é bem focada na Mana / Cure Heart. Não achei isso exagerado, inclusive achei que todas as personagens tiveram seu momento durante a série, sendo que nenhuma delas fica apagada em momento algum. Outro fator favorável dessa temporada é o fato de praticamente não ter episódios fillers e, juntando isso a um enredo muito bem elaborado -é tudo muito bem explicado e amarrado-, DokiDoki flui muito bem e quando você vê já tá lá no final.

Nota: 4/5

Filme:
– Eiga DokiDoki! Precure: Mana Kekkon!!? Mirai ni Tsunagu Kibou no Dress

Objetos comuns e esquecidos pelas pessoas começam a flutuar e se juntam no céu, formando uma grande baleia voadora. Lá dentro aparece Marsh, um grande vilão que tem como objetivo aprisionar as pessoas dentro de suas memórias para elas nunca mais se esquecerem das coisas e as jogarem fora. Marsh diz que os objetos esquecidos sentem raiva e estão tristes, igual a ele próprio, e por isso planejam se vingar dos seres humanos. As Precure então tentarão acabar com os planos de Marsh e entender o que o levou a fazer isso. Apesar de também ser focado na Mana, esse é um dos melhores filmes da franquia. O plot é bem sensível e eu quase me emocionei com algumas revelações. Indispensável <3

11ª Temporada: HappinessCharge Precure

hacha

Exibição: 2 de Fevereiro de 2014 a 25 de Janeiro de 2015
Episódios: 49
Heroínas: Cure Lovely, Cure Princess, Cure Honey, Cure Fortune
Temas e símbolos recorrentes: Amor, moda, dança, cartas, espelhos

A comandante do Phantom Empire, Queen Mirage, começa a invadir a Terra usando seu exército de Choiarks (tipo os bonecos de massa dos Power Rangers) e seu monstros mais poderosos, os Saiarks. Ao redor do mundo, Precures de várias nações começam a lutar contra essa ameaça. Enquanto isso, Shirayuki Hime, a princesa do Reino do Céu Azul -que foi dominado pelo Phantom Empire- se torna Cure Princess, mas não consegue lutar sozinha contra os monstros, pois está sempre muito assustada. Hime então recebe um Cristal do Amor das mãos do Espírito da Terra, “Blue“, com a missão de o entregar a uma garota que ela considere capaz de ser uma parceira para lutar ao seu lado. A princesa então, durante um passeio pela cidade, decide jogar o cristal pro alto, deixando a sorte decidir quem será sua nova parceira. A escolhida é Megumi Aino, uma garota gentil que está sempre pensando mais nos outros do que em si mesma. Ela se torna Cure Lovely e, junto de Cure Princess -e mais tarde Cure Honey e Cure Fortune– ela vai lutar para combater a grande ameaça do Phantom Empire.

O que eu achei: Essa é a temporada de aniversário de 10 anos da série, então era de se esperar alguns elementos especiais, como as Precure ao redor do mundo todo na história. É bem interessante ver o poderes das outras meninas de outros países, mas isso gerou muitas controvérsias pela ausência da diversidade de raças entre essas outras heroínas. Durante a temporada então a Toei corrigiu (tarde demais) esse erro com uma dupla de Cures naturais do Havaí, ainda assim parecendo um pouco forçado. Por outro lado é uma temporada com muitos power ups legais e mudanças de roupinha em vários episódios. Me empolguei com ela principalmente nos últimos dez episódios, pois a estrutura em que os acontecimentos se desenvolvem é um pouco diferente do usual das outras séries. Não coloque ela no começo da sua lista; por ser uma temporada mais “comemorativa”, é legal assisti-la depois de algumas outras temporadas.

Nota: 4/5

Filme:
– Eiga HappinessCharge Precure: Ningyo no Kuni no Ballerina

Vai contar a história de uma “boneca” que leva as meninas para o seu mundo pra brincar e etc, mas daí aparece um vilão lá e a própria boneca também não é bem o que parece. Esse filme é bem chato e cansativo. Quase dormi e nem tenho paciência de lembrar da história. Bem dispensável.

12ª Temporada: Go! Princess Precure

go

Exibição: 1º de Fevereiro de 2015 a 31 de Janeiro de 2016
Episódios: 50
Heroínas: Cure Flora, Cure Mermaid, Cure Twinkle, Cure Scarlet
Temas e símbolos recorrentes: Sonhos, “O que significa ser uma princesa”, desespero, perfumes, roupas

Desde pequena Haruno Haruka sonha em se tornar uma princesa. Seus colegas de classe sempre tiravam sarro de seu sonho, até que um dia ela conhece um garoto chamado Kanata, que entrega a ela um estranho chaveiro em forma de vestido, pedindo para que ela prometa nunca desistir de seus sonhos. Já crescida, Haruka começa a estudar na Academia Noble, uma escola-internato que disciplina seus alunos para que se tornem elegantes como príncipes e princesas. Haruka então encontra duas fadas que dizem ser do Hope Kingdom: Puff e Aroma. Os dois estão sendo perseguidos por um homem chamado Close, e contam a Haruka que ele faz parte da DysDark, um grupo liderado pela bruxa Dyspear, que deseja trazer desespero ao mundo trancando os sonhos de todas as pessoas no “Portão do Desespero“. Durante a perseguição, Haruka então descobre que o chaveiro que recebeu de Kanata é na verdade uma Dress Up Key, acessório que faz com que ela se transforme em Cure Flora, uma das três guerreiras Precure destinadas a lutar contra a DysDark. O time então é completado com Cure Mermaid, Cure Twinkle, e mais tarde, Cure Scarlet.

O que eu achei: Junto de HeartCatch essa é minha outra temporada preferida! Go! Princess dá gosto de ver, o visual é lindo, a trilha sonora é impecável, as personagens são marcantes (Kirara / Cure Twinkle é maravilhosa!) e a história é linda, principalmente o final! É uma temporada com pouquíssimos fillers, mas até os poucos presentes são gostosos de se ver. Uma outra ótima temporada para começar.

Nota: 5 / 5

Filme:
– Eiga Go! Princes Precure: Go! Go!! Goka San-bon Date!!!

Esse filme saiu nos cinemas no final de 2015 e acabou de chegar em Blu-ray nas lojas, ou seja, ainda não vi e não posso falar muito. Adianto que o formato dele é um pouco diferente dos filmes usuais, pois traz três histórias em uma só. Em breve sai uma análise em post separado só sobre ele!

13ª Temporada: Mahou Tsukai Precure

mahou

Exibição: 7 de Fevereiro de 2016 a ???
Episódios: ???
Heroínas: Cure Miracle, Cure Magical, Cure Felice (ainda não apareceu, mas já foi revelada)
Temas e símbolos recorrentes: Magia, vassouras, coração, estrela

Conhecemos nessa temporada Mirai Asahina, uma garota comum de 13 anos que em uma noite observa algo caindo do céu e resolve investigar o estranho fenômeno. No dia seguinte ela conhece a feiticeira Riko, que estuda em uma escola de magia e usa um pingente parecido com o de Mirai. Ela revela estar em busca de um objeto mágico chamado Linkle Stone Emerald. Porém, Dokuroxy e seus servos das trevas também estão em busca da pedra mágica para utilizá-la com propósitos ruins, e aí Mirai e Riko se transformam nas feiticeiras lendárias, Cure Miracle e Cure Magical, e agora têm o dever de impedir que Dokuroxy alcance o seu objetivo.

O que eu estou achando: Essa é a temporada atual, ainda em andamento. O saldo tem sido positivíssimo, principalmente porque dessa vez as meninas têm mais de uma transformação na hora de lutar. Já foi revelada também uma terceira heroína que deve aparecer mais para o meio do anime. No entanto, muito pouco dos vilões ainda foi mostrado, só que com apenas 7 episódios exibidos até o momento, ainda tem muita água pra rolar. Quem quiser ver a minha análise do primeiro episódio é só clicar aqui. No meio da série farei outra análise e uma terceira no final.

FILMES ALL STARS

ALL

Como o nome já diz, essa série anual de filmes tem o propósito de reunir todas as heroínas até as da temporada atual em um único filme, sendo que as Precure que recebem mais destaque são justamente essas da série corrente. O filmes são divididos em trilogias com o mesmo subtítulo e até o momento existem 7 disponíveis, sendo que o 8º entrou em exibição nos cinemas japoneses dia 19 de março de 2016. A série de filmes foi iniciada em 2009 com foco na temporada da época, Fresh Pretty Cure, e desde então tornou-se tradição o lançamento de um novo filme a cada ano.

TRILOGIA DELUXE

deluxe

Pretty Cure All Stars DX: Minna Tomodachi☆Kiseki no Zenin Daishugou (2009)
Pretty Cure All Stars DX2: Kibou no Hikari☆Rainbow Jewel wo Mamore! (2010)
Pretty Cure All Stars DX3: Mirai ni Todoke! Sekai o Tsunagu Niji-Iro no Hana (2011)

Essa primeira trilogia é composta por filmes completamente independentes, cada um contando uma história que envolve o retorno de algum vilão de alguma série ou filme anterior. Assim como todos os outros filmes dessa série, é recomendado assistir após ter visto todas as temporadas até a do time focado naquele filme.

TRILOGIA NEW STAGE

newstage

Pretty Cure All Stars New Stage: Mirai no Tomodachi (2012)
Pretty Cure All Stars New Stage 2: Kokoro no Tomodachi (2013)
Pretty Cure All Stars New Stage 3: Eien no Tomodachi (2014)

A trilogia New Stage já trouxe uma maior estabilidade no enredo, trazendo alguns vilões originais e uma Cure original, a Cure Echo! Esses filmes podem muito bem ser vistos de forma independente, mas possuem ligações e referências entre si, sendo recomendado assisti-los na ordem correta.

TRILOGIA MUSICAL

musical

Pretty Cure All Stars: Haru no Carnival♪ (2015)
Pretty Cure All Stars: Minna de Utau♪ Kiseki no Mahou! (2016)

Ainda não se sabe se será uma trilogia novamente, pois até o momento temos dois filmes, mas dessa vez o foco dos filmes é na música. Embora tenha algumas cenas de batalha, durante a maior parte dos filmes as Precure cantam e dançam os temas clássicos das temporadas. O primeiro filme foi bem criticado e eu inclusive não gostei muito desse formato. O segundo se encontra em exibição nos cinemas ainda.


Acabou? Por aqui. Conforme a série for evoluindo eu vou fazendo posts de análises e impressões. É, eu sei, esse post ficou ENORME e Precure tem muita coisa pra ser vista, mas como eu disse antes, existe muito conteúdo independente, fazendo com que não seja preciso criar um grande compromisso com a franquia. Espero que tenham lido esse post que fiz com carinho, e se eu conseguir inspirar alguém a assistir alguma temporada já fico feliz! Pode parecer meio piegas, mas apesar de ser uma franquia que resgata a inocência e os sentimentos de crianças e pré-adolescentes, assistir Pretty Cure as vezes nos faz voltar no tempo e perceber como muitas coisas que hoje achamos serem bem complicadas são na verdade bem simples :)

14 comentários sobre “Pretty Cure: Tudo que você precisa saber

  1. Guilherme Vicari Vieira

    Nossa, ficou maravilhosa essa análise, espero que continue e diga sobre as últimas duas temporadas que lançaram recentemente também!

  2. Ana Paula Rodrigues

    Bom,as temporadas que mais me marcou e que eu mais gostei foram:

    1 – DokiDoki Precure.
    2 – Smile Precure.
    3 – HeartCatch Precure.
    4 – Mahoutsukai Precure
    5 – KiraKira Precure a la mode(Novo anime da sequencia e também lançamento de 2017,no momento lançaram já legendado os 7 eps desse anime,super recomendo a vocês:))

  3. Gustavo Dias

    Nossa que post mais rico em detalhes, isso é informação de utilidade púbica!!

    Começei vendo Precure por Heartcatch e estou quase acabando, muuuuuito bom hahaha, assisto 3 episódios por dia fazer cardio na academia e ajuda muito pra passar o tempo.

    Quero muito colecionar as figuarts, to vendo se compro em algum site a cure blossom e a cure marine.

    Precure é vida <3

  4. Anna Kcau

    Shesus tem muita coisa! 😮
    Eu com certeza vou assistir alguma dessas temporadas nas minhas férias da faculdade, só ainda não consegui me decidir qual delas vai ser. Agora fiquei mais indecisa kkkkk
    Acho esse desenho lindo demais e esse é um dos principais fatores que eu considero quando vou escolher um anime pra assistir hahahha

  5. Victor Honorio

    Nossa! Amei esse texto, sou um dos poucos que já assistiu todas as temporadas, filmes e all stars e sim também já ouvi todos os soundtrack da franquia!
    O legal que cada temporada sempre passa uma lição de vida, muitos temas abordam coisas que estamos deixando de lado como sonhos que foi abordado em Go Princess e HeartCatch

  6. Rafael

    Sempre fico abismado com o tamanho desse universo das Precure! A única temporada que cheguei perto de acompanhar foi Doki Doki mesmo, mas pude ver um montão de cenas legals e bem feitas com o pouco que vi enquanto você assistia todas as temporadas. Queria ter tempo pra ver essa das bruxas direitinho, quem sabe um dia <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *